11.9.17

anotações


ela me mostra 
o livro de uma amiga
assinado 09-03-70
a amiga já morreu
eu finjo
desinteresse
o livro está todo
anotado
e sublinhado 
com tinta vermelha
e azul 
ela está escrevendo 
sobre autismo
ela me mostra 
o livro 
da amiga que eu 
não conheci
que ela guardou
anotado e sublinhado
para se lembrar
47 anos
depois

(dois dias antes 
quando ela
pede uma caneta
eu vejo o gesto
o livro na mão
a caneta destampada
e quase grito
o livro é meu
ela me olha
e tampa a caneta
calada)


7.9.17

minha amiga toca a real
o apartamento é bonito
pra você
eu fico irritada e digo
mas escuta
e mais nada
porque começo a pensar
na pré-história 
e em como explicar 
pra corretora 
que não é tão 
simples
quantos metros
quantos quartos
quantas vagas na garagem
e o prédio?
tem segurança
24 horas?
e as vagas?
são fixas?
e o preço do condomínio?
que existe uma pré-história 
que eu te perguntei
pra decidir se comprar ou não
te perguntei se você achava
que a gente ia ser feliz aqui
você não respondeu

5.9.17

sabedoria

eu não ligo
muito para o
passado, mãe

1.9.17

compro uns bifes
de alcatra, corto
tempero com alho e sal
e bato neles
com a delicadeza
que a situação pode
suportar
ele corta tomates, eu brócolis
que ele junta com o arroz
temperados com alho
e sal
as cebolas, que eu cortei
ele refoga com os bifes
com azeite e manteiga

chamamos os meninos

há mais de uma década
viemos alimentando
essas outras pessoas
com diligência, e o amor
que podemos
dar




29.8.17

look at all
the lonely people
f. canta
ele não entende
mas parece
que entende

26.8.17

ele põe a mão
gelada sobre a minha
está tudo escuro
não sei que horas são
sinto a mão gelada
sobre a minha mão
quente e não sei se é
amor ou só frio
mesmo

17.8.17

bonde la paz

com marcelino, andré e dennis
e com os "judíos" de t.k.

queremos ir ao museu de etnografia
o dia da independência é amanhã
mas nada de museu por hoje
apertados no taxi rimos e aceitamos
la paz vai nos testando com discrição
reservada e resistente
nós queremos ir mais alto
e o teleférico não é longe daqui
dizemos em uníssono
nem subimos e já somos parte
de um poema que não é este
algo nesta altura nos deixa tontos
é nossa trilha sonora inaudível
porque as vozes que nos cobrem
já quase tocando o céu com a mão
são de remédios contra os males
da alma e do corpo
para você que sofre do intestino
dos olhos do fígado do pescoço
do calcanhar da bacia do rim
que não sabe onde esqueceu os óculos
até aqui chegamos
um de nós diz entre peças automotoras
llamas turísticas tênis falsificados
tecidos multicores peixe frito
seguimos mais uns passos
tentados a comprar o improvável
testamos a paciência um do outro
respiramos devagar porque é pouco o ar
e muito o esforço para estar aqui
diferentes às custas do mesmo
somos bolivianos e não somos
um pernambucano uma portenha do rio
dois paulistas um de guarulhos
um de nós guia os outros
de volta à estação da linha vermelha
mas tem mais
rimos na subida e rimos de novo
do cemitério imenso sob os bondes
e rimos mesmo é da emoção
rimos e calamos no sobrevoo
da cidade que nos tira o fôlego
perguntamos em silêncio sabendo
a resposta que a partir de agora nos une
você ficaria?



31.7.17

estoy triste
porque murió 
jeanne moreau

24.7.17

auto

a exposição se chama
"autophotos"
eles tinham entendido
que seriam fotos
de carros
eu não

19.7.17

fábula

era uma vez um menino 
que achou uma moeda de 20 centavos 
numa máquina de lanches no metrô. 
já no trem, o menino girava sua moeda entre os dedos, 
quando entrou uma mulher, 
que pediu desculpas por atrapalhar sua viagem 
e contou que há dias não fazia uma refeição. 
o menino duvidou e perguntou pra mãe 
se deveria dar a moeda à mulher, 
mas a mãe duvidou também, 
enquanto a mulher se afastava 
para tentar melhor sorte num outro vagão.
chegando na sua estação, 
desceram e foram em direção à saída, 
o menino sempre girando e girando a moeda, 
até que ela escapuliu e saiu correndo pelos trilhos. 
olhando a moeda ir embora, 
ele perguntou desconcertado pra mãe
se a mulher seria capaz de encontrá-la.


11.7.17

"tenho por princípio
nunca fechar portas
mas como
mantê-las abertas
o tempo todo
se em certos dias
o vento quer
derrubar tudo"

28.6.17

prainha paulista


às vezes quando acordo
no meio da noite
ouço um barulho de onda
demoro pra entender
que é um caminhão
subindo pela joaquim
em direção à paulista 








26.6.17

- você sabe
que a gente
é o sonho
de alguém?
- é impossível
ter certeza.

13.6.17

e eu será que quero 
voltar a ser criança
deixando que os piolhos 
invadam minha cabeça?

11.6.17

durante anos 
a. brincou
com colheres de pau
se eu precisasse de uma
sabia onde encontrá-la 
leio freud que diz:
"nada é tão difícil quanto renunciar 
a um prazer que se conheceu
um dia"
um dia a. abandonou 
as colheres de pau
talvez por vergonha
talvez por desinteresse 
há algum tempo 
ele se tranca 
no quarto
do outro lado da parede
ouço os sons que fazem 
caindo no chão
sacudidos no ar
os restos de brinquedos
que ele pega 
emprestados de f.
para continuar sendo
uma criança 

30.5.17

"você estava sentada no sofá
com ar de derrota
quando me aproximei
e sussurrei em seu ouvido:
não faz mal"

(a chave de casa, tatiana salem levy)

24.5.17

vejo o mar do avião
penso que se ao vir ao rio
ao invés de ir à análise
fosse dar um mergulho
eu seria outra

17.5.17

e f. que diz:
meu banheiro devia
ser esse aqui
"fe-menino"

12.5.17

com d. p. 

antes eram os avós 
que morriam
não os pais
hoje o pai de uma amiga
morreu
eu tinha imaginado
como seria quando
isso acontecesse
o velório, o enterro
ela me mandou 
uma mensagem
eu tinha que levar f.
na natação
pensei em dizer 
que não ia dar
aí lembrei de um amigo
dizendo que eu sempre
estou em outro lugar
ou fui eu quem disse
que eu sempre estou
em outro lugar 
abracei a minha amiga
o caixão era preto
estava fechado
como diz a tradição 
vi o filho dela
com sua namorada
para eles ainda são
os avós que morrem
não os pais 
lembrei que um dia
eu fui ao velório do avô 
de um namorado
que achei tudo chato
e demorado
as pessoas iam e vinham
uma mulher me perguntou 
se eu já estava de partida
eu disse que não
que ia ficar ali
um pouco mais
com a minha amiga

10.5.17

explicação

"o xadrez tem isso
às vezes um jogo
já está ganho
na teoria
mas é preciso
ganhar esse jogo
na prática,
entende?"

24.4.17

ipanema

f. entra no banho
eu deito na cama
bebi um saquê
no japonês 
aqui pertinho
já quase sonhando
ouço do quarto
como ele canta
grito pra ele
não esquecer
o pente fino
e o shampoo
contra piolho
já quase sonhando 
ouço como canta
garota de ipanema 
ele canta
ele assobia
eu fecho os olhos
me vem a calçada
quente e suja
da vinícius de moraes
meus pés descalços
a praia logo ali
tão longe de nós
e tão pertinho


23.4.17

o que eles
vão
lembrar

18.4.17

sonhei que a casa
da minha infância
era um avião gordo
como um zepelim
eu catava uma coisa
arrumava outra
ia e vinha sem parar
de repente começava
uma forte tempestade
de raios e trovões
antes de o avião cair
eu dizia:
"acabou"

(ele disse que o sonho
era auto-explicativo)

10.4.17

kazumi (II)

antes da viagem
à frança
passei na dentista
falei com ela
da sensibilidade
nos dentes da frente
ela me disse
que agora que eu
estava indo
para o frio
devia tentar
fica com a boca
bem fechadinha


2.4.17

você gosta
de rock
progressivo?

1.4.17

quando
nathalie sarraute
tinha dois anos
seus pais
se separaram

quando
clarice lispector
tinha dois anos
sua família
emigrou
para o brasil

quando
simone de beauvoir
tinha dois anos
sua irmã caçula
nasceu

31.3.17

kazumi

falo com a minha dentista
do medo que tenho
de perder meus dentes
não falo da amiga
de oitenta e sete
que perdeu os seus
e escreveu um livro
já ela me fala
da sua paciente
de oitenta e cinco
que só perdeu um
"até que durou"
ela diz e ri

20.3.17

passo a manhã
defendendo
meu território:
já disse
nessa hora
eu trabalho
entendeu?
antes de sair
pra escola
ele constrói
sua própria
barricada




13.3.17

antecipação

no sonho
vejo f. escrevendo
e escrevendo
com uma letra
cursiva
infantil
e segura

12.3.17

o que se perdeu
pelo caminho
vai fazer
falta?

8.3.17

consolo

42
é uma
idade
boa
mãe

7.3.17

vertigem

acaricio
o cabelo
curtinho
de f.
e penso
que há muitos
anos
quando quis
ter este
cabelo
curtinho
foi porque
este menino
já habitava
em mim

25.2.17

m. traduz
meu livro
da separação

21.2.17

mãe
o que é
o mistério
público
federal?

19.2.17

essas histórias
de amigos velhos
divertem k.

17.2.17

minha amiga
de 95
era afilhada
do médico
miguel couto
sobre quem
meu amigo
de 81
escreveu

10.2.17

f. que pergunta
se esse que está
tocando
agora
já morreu:
não
esse
não

7.2.17

leio
no editorial
de hoje do
jornal la nación
la ocupación del gobierno 
por las fuerzas armadas 
contó con un amplio 
consenso 
de la sociedad
como lo evaluaron 
en ese momento 
casi 
todos 
los analistas locales 
y del exterior
digito 
no google
dictadura argentina
leio
el proceso
se caracterizó 
por el terrorismo de estado
la constante violación 
de los derechos humanos
la desaparición
y muerte
de miles de personas
la apropiación
sistemática
de recién nacidos
y otros crímenes
de lesa humanidad

digito no google
ambrosio josé vecino
leio
ha repercutido 
dolorosamente 
en el medio periodístico 
el fallecimiento 
de ambrosio josé vecino
que hasta 1977 
tuvo a su cargo 
la dirección de la revista 
dominical de la nación
digito no google
la nación 24 de marzo
de 1976
aparece a imagem 
da capa do jornal
que meu avô 
deve ter recebido
em casa
como todos 
os dias
durante os
16 anos que 
trabalhou
ali
leio
las fuerzas
armadas
asumen 
el poder
detúvose
a la presidente
imagino o meu avô
os olhos do meu avô
através dos óculos
de fundo de garrafa
lendo o que eu
leio
vendo essa capa
e simplesmente
não sei
não sei
o que ele 
deve
ter 
pensado


3.2.17

tenho um outro
amigo
de oitenta e um
ele gosta de falar
pelo telefone fixo
como meu pai
que não tem
nem email
nem celular

1.2.17

tenho uma amiga
que ontem fez
noventa e cinco
e outra que fez
oitenta e sete
na semana passada
dei parabéns
pra uma por whatsapp
e pra outra mandei
email porque ela
não ouve bem




10.1.17

ponte aérea

com p.s.

se pousar
eu te amo
se pousar
vivo aqui
se pousar
mais 10 anos
se pousar
dou para k.
o livro
"ano novo"
se pousar
finalmente
se pousar
aquela avenida
se pousar
quem explica
nós dois aqui
há 10 anos
se pousar
leio o livro
se pousar
da leila danziger
se pousar
até o último
minuto
se pousar
finalmente
se pousar
escrevo
se pousar
pra você
se pousar
eu te amo

3.1.17

clarice antídoto e veneno
estou trancada com você
desde ontem
folie à deux
só que ela é uma imagem
uma linha torta
sem deus pra escrever
pura ansiedade
se paro pra descansar
ela me puxa o pé
me formiga o braço
mas depois me consola
ser tranquila comigo mesma
e eu que achava que
o segredo é dormir
cedo
o segredo pode ser
muito bem
não acordar
mas é ela também quem
me ordena
não pensar pessimisticamente
no futuro
não achar que uma situação
é irremediável
clarice tirana da auto-ajuda
não me abandone agora
não não antes
dos meninos voltarem!

1.1.17

o segredo é acordar
cedo

17.12.16

lista

(com clarice)

1. ficar uniformemente bronzeada
(apesar da chuva)
2. escrever algo sobre a clarice que me ajude
a atravessar o que sobra de 2016
3. não me irritar demais com os meninos
4. acordar cedo
5. beber muita água e comer frutas
6. não querer ser quem eu não sou
7. de vez em quando ser quem eu
não sou
8. apaixonar-me pelo livro
9. ver a parte no todo
10. nadar
11. deixar o medo vir
e passar
12. não me irritar demais com os meninos
13. em todas as frases um clímax

7.12.16

o mundo é tudo
o que as crianças
que vão no banco
de trás
observam
do outro lado
da janela

tiago rodrigues



3.12.16

com d.k. e l.c.

a gente sobe a brigadeiro
a gente sobe e desce
a brigadeiro
aqui
a brigadeiro primeiro
sobe depois desce
o horizonte está ali
nossa vida nesse
sobe e desce
nesse carro-bolha
nossa bolha
musical
eles pedem
all the lonely
people
eu vou de caetano
o lugar mais triste
do mundo
é aqui?
eles perguntam
é aqui?
mas a gente não vai
nem triste
nem só
o horizonte está ali
a brigadeiro é infinita
sobe e desce
nossa vida
nesse carro-bolha
eu na frente
eles atrás
me puxando
pra frente
nem triste
nem só
aqui






28.11.16

sabe do que eu
tenho medo?
de não voltar
sabe?
sabe como é
não voltar?

26.11.16

ele me conta
que estava na fila
do supermercado
irritado
e que uma mulher
na sua frente
que ele acha
que era chinesa
se vira e pergunta:
você é judeu?
ele diz que não
ela insiste:
palece
eu rio, ele ri
se sobrar isso
até que
tudo bem

24.11.16

é isso
que sobra
do amor?

19.11.16

outra atendente
da net,
mas desta vez
quem fala
é ele:
paloma vidal
cpf: 07110418731
data de nascimento:
04 do 03 de 1975
casada
telefone:
992351875
os dados
conferem
ah!
o amor!

18.11.16

pessoa amada

passamos
por uma placa:
"trago a pessoa
amada
mesmo que esteja
com outra"
mostro pra a.
ele pergunta:
pra que você
vai querer
de volta
a pessoa amada
se você já está
com outra?

14.11.16

arranjos

a médica diz
que a infecção urinária
é por causa
do banho sentada
arranjo
um banquinho

13.11.16

13 de novembro

hoje 
há um ano
eu estava preparando
uma viagem
agora não tenho vontade
de ir a lugar nenhum
não lembro se houve
alguma vez 
antes
em que aconteceu
de não querer estar
em outro lugar

busco a. 
na professora de francês
há alguns meses 
ele começou as aulas
é preciso 
preparar a viagem
são mais ou menos 18:30
uma amiga me escreve 
um email
para me perguntar 
se eu fiquei sabendo 
do que aconteceu

já escrevi isso
quase exatamente
assim
mas agora é diferente
a. continua
as aulas de francês
com a professora
ele escreve 
emails 
para os amigos
que fez
por lá

12.11.16

para onde
mãe
me fala
para onde
a gente vai!

10.11.16

com m.c.

hoje uma pessoa que eu conhecia
morreu
milhares de pessoas que eu não conheço
morrem
todos os dias
há uma semana
morreu uma pessoa que eu não conhecia
ele era casado
com uma pessoa que eu conheço
essa pessoa
um dia
me disse:
"eu sabia
que estava vivendo
um momento
de felicidade"
foi como uma evidência
e um mistério
a pessoa que morreu hoje
era amiga de um amigo
com quem vivi
momentos
de felicidade
às vezes
sabendo
às vezes
sem saber


7.11.16

separação (II)

a. me pergunta por que
eu não peço p.
em casamento
"cada 15 anos
vocês deveriam
separar
e recasar"

28.10.16

de j.p.c.

no espelho 
eu vejo a mim mesmo 
lá onde eu não estou
em um espaço irreal
que se abre virtualmente 
atrás da superfície
eu estou lá
lá onde eu não estou
uma espécie de sombra 
que dá minha própria 
visibilidade 
a mim mesmo
que me torna capaz 
de me ver
a mim mesmo

onde eu estou ausente 
tal é a utopia 
do espelho 
mas é também 
uma heterotopia
uma vez que o espelho 
existe realmente
e ele tem 
sobre o espaço 
que eu ocupo 
uma espécie de efeito
retroativo
é a partir 
do espelho 
que eu me ausento 
do lugar onde eu estou
uma vez que eu vejo 
a mim mesmo 
   

(foucault, "outros espaços")