28.8.20

para a mayra

o que é que importa?
que a. acordou com 37,7 de febre
e me corta a respiração pensar
que ele pode estar com covid
ou que ele esteja muito magro
desde que teve apendicite e eu me culpe
por não conseguir convencê-lo a ter
uma alimentação saudável
ou que eu não saiba direito o que é
uma alimentação saudável
porque não sei direito de onde vem
a comida que eu como?
ou que o atual governo queira acabar
com a natureza e com a cultura
ou que f. ainda ria de todas as minhas
piadas e a. não ria de nenhuma
que eles são o sol da minha vida
e isso seja uma metáfora
talvez um pouco gasta
mas não menos eficaz
ou que este jeito de escrever seja
viciante e que eu tenha me viciado
depois de traduzir durante
os primeiros meses da quarentena
um livro de margo glantz
chamado "y por mirarlo todo, nada veía"?
ou que eu não consiga me separar
de nada e de ninguém
ou que isso não seja totalmente verdade
e que eu tenha muita dificuldade
de dizer o que é verdade e o que não é
e que talvez por isso eu diga muito
"talvez", "um pouco" e frequentemente
não complete as frases
o que irrita muito meus filhos
e meu namorado
ou que eu gostaria de chamar
meu namorado de "meu homem"
mas que isso talvez seja cafona
e que eu tenha dito a muitas pessoas
que estou escrevendo um conto erótico
e que agora já não consigo escrevê-lo
porque o brasil acaba com a libido da gente
ou que a gente precise resistir a isso
com todas as nossas forças
ou que a palavra "resistência" esteja
muito gasta e ainda assim seja
necessário usá-la?
ou que minhas amigas me perguntem
por whatsapp se minha dor de cabeça
passou e isso me faça chorar
ou que eu chore muito ultimamente
e que chorar não adianta nada
que as pessoas deveriam se juntar
por zoom para chorar juntas
mas que talvez essa não seja uma boa
e seja muito melhor a ideia de uma amiga
de fazer "coreografias de apartamento"
que ela posta no instagram
que eu agora use o instagram
mas não saiba direito como
e prefira o twitter como m.g.
que tem 90 anos e quase 50000 seguidores
e que eu só tenha 1 seguidora
ou que uma amiga tenha dito
que o twitter é o melhor lugar
para se divertir em tempos de crise
mas isso foi antes do bolsonaro?
e que as redes e o zoom e os streamings
e tudo mais que acontece online
nos deixe assoberbadxs
e angustiadxs
e ao mesmo tempo entusiasmadxs
que agora eu use o x para não marcar o gênero
e que isso signifique um problema
na hora de ler em voz alta
e por isso seja melhor o "e"
e que antes uma regra deste blog
era não falar de escrita ou deste blog
mas isso mudou no final do ano passado
e agora já não tem mais volta
e que a sensação de que
não tem mais volta nem sempre é ruim
mas aplicada ao brasil de agora
seja extremamente triste
e que para não ficar triste
eu escreva sem parar
mensagens, posts, diários, listas
e também isto aqui
ou que usar a escrita para isso
talvez a banalize
mas entre a banalidade e a tristeza
eu prefiro a banalidade
e que seja difícil saber o que é banal
ou não e que seja preciso arriscar?
ou que uma amiga mande em um grupo
uma matéria de uma capivara
que aproveitou a praia vazia
e foi nadar no mar
e que minha amiga chame isso
de rolêzinho
e que meu último rolêzinho antes
da quarentena tenha sido
com minhas amigas no dia
internacional da mulher
e que isso pareça uma pré-história
e que de lá pra cá sofremos muito
com nossa penas e as dos outros
e então o que importa?
que talvez importe não parar
de se importar

2 Comments:

At 1:13 PM, Blogger Ana Claudia Calomeni said...

Amei <3 (indicando coração pq não sei colocar coração aqui e que talvez acabe de fato saindo daí um coração mas o que importa? rs).

 
At 11:52 AM, Blogger paloma vidal said...

Obrigada, Ana Claudia! Abraço

 

Postar um comentário

<< Home